Ingerência Estrangeira em Todos os Processos Democráticos na União Europeia, incluindo a Desinformação (INGE2)

Combate à ingerência e à desinformação

As notícias falsas e as campanhas de propaganda podem desestabilizar a democracia europeia. As campanhas de desinformação constituem uma ameaça para a segurança de todos os Estados-Membros da UE.

O Grupo PPE considera que a UE deve reforçar as suas próprias capacidades para detetar, expor e combater a desinformação. O reforço dessas capacidades tem custos e exige recursos humanos adequados, bem como uma melhor coordenação e cooperação dentro e fora da UE.

A Comissão Especial sobre a Ingerência Estrangeira e a Desinformação tem muitos objetivos e missões a cumprir. A comissão analisará os inquéritos que demonstrem que regras eleitorais fundamentais foram violadas ou contornadas e fará os possíveis para revelar as fontes de financiamento das campanhas.

A comissão centrar-se-á numa ação coordenada a nível da UE para fazer face às ameaças híbridas, incluindo os ciberataques contra alvos militares e não militares, as operações de pirataria dirigidas a legisladores, funcionários públicos, jornalistas, partidos políticos e candidatos com vista à obtenção e divulgação de informações, bem como a espionagem cibernética para fins de roubo de propriedade intelectual das empresas ou de dados sensíveis dos cidadãos.

É essencial intensificar a nossa luta preventiva contra a ingerência estrangeira e as notícias falsas, uma vez que a nossa democracia depende da capacidade dos cidadãos para tomar decisões informadas. O Grupo PPE gostaria de desempenhar um papel ativo para facilitar esta missão, como já o fez no passado.

Em curso

No result

Posição relacionada

Assuntos externos

Outro conteúdo relacionado

No result